Alcides Fonseca

40.197958, -8.408312

Codebits 2008

Passei estes últimos três dias pela LXFactory, em Lisboa, a participar no Sapo Codebits 2008. Para uma visão geral, poderão ver a reportagem da sic.

Gostaria também de agradecer ao departamento onde estudo que patrocinou a minha ida e a de mais 4 colegas ao evento.[1]

Apresentações/Workshops

A primeira tarde e a primeira manhã estavam cheias de apresentações interessantes, mas eu só consegui ver duas:

Serverside Javascript: Hope and Opportunity

O Mário Valente apresentou a sua ideia para uma framework de desenvolvimento web totalmente em javascript chamada Starbucks. Mas o mais importante foram os motivos que o levaram a optar por server-side javascript:

  • linguagem de scripting mais deployed (todos os browsers desktop e mobile).
  • quem desenvolve para a web, seja programador ou designer, já tem algumas bases por onde começar2
  • é uma linguagem funcional, e parece que essas estão para ficar
  • implementa o Universal Design Pattern
  • Tem diversas máquinas virtuais (TraceMonkey, V8, SquirrelFish) que batem em diversas situações Perl, Python, Ruby, PHP, etc…

Eu levantei dois problemas que vejo na solução apresentada por ele:

  • Javascript puro pode não ser a solução mais mainstream, porque o corporate world pode facilmente adoptar Rhino (ou JScript) e usar todas as 1001 bibliotecas já desenvolvidas em java (ou C#).
*Eu valorizo a pluralidade de linguagens possíveis para o server-side. Perl tem as suas vantagens relativamente a Python, que em alguns casos é melhor que Ruby e que também tem situações onde ganha ao Perl. Ou podemos simplesmente falar de gostos. Penso que a solução poderá passar por ter mais máquinas virtuais no cliente, para álem da de JavaScript. Mas vou escrever mais sobre isto brevemente.

Mão na Coisa

O Pedro Melo deu uma excelente apresentação sobre XMPP, mas totalmente prática. Como nem todos podem ser perfeitos, o código estava em Perl, mas deu para perceber perfeitamente. Exemplos desde um Bot controlado por HTTP, como o uso de chatrooms para soluções de sincronização, quer seja controlar servidores remotos à lá vertebra, quer mesmo para transferir informação entre pcs (think Open LiveMesh/MobileMe XMPP based).

O uso disto é ilimitado (até porque o protocolo pode ser extensível) e deu ideias para vários projectos do codebits, do qual saliento o ComputerBot.

Os projectos

CloudStream

Video da Apresentação

Ao contrário do que tinha previsto, acabei por ficar com a malta que veio comigo de Coimbra, e dedicamo-nos a uma ideia que tinha nascido na viagem para a Shift: Criar um serviço que faça o streaming de música alojada em serviços AlojamentoInTheCloud. Nos próximos anos, vamos estar a mover a computação, storage e software para a nuvem3. Ora eu não vou querer estar a sacar a música uma a uma para a ouvir. Vou querer apenas um endereço de streaming, e de um controlo remoto do servidor. Especialmente no meu telemóvel. E poder sair de casa e continuar a ouvir no caminho a mesma música onde parou.

E este modelo é diferente do Last.fm. Aqui a música é vossa, simplesmente não está alojada na vossa máquina, mas num servidor vosso, ou em serviços como o box.net (usado na demo), s3, dropbox, ou outro. No Last.fm simplesmente alugam a música.

TechStuff: Java for streaming server, PHP for the web interface, VLC for transcoding (Obrigado Sérgio!), VLC ActiveX component for web-streaming ( the audio tag didn’t work) and TCP MP in Windows Mobile.

Onde está o Alcides?

Video da Apresentação

Sempre que era preciso trabalhar, parece que eu nunca estava disponível, e isto foi o mote para o resto do grupo desenvolver uma aplicação que dissesse onde andava eu escondido (Ou qualquer outra pessoa que não tenha escondido o RFID) sem ter de tocar no teclado ou olhar para o monitor, graças à apresentação do Pedro Santos do MLDC.

As actividades

Outro dos pontos chave do evento foram as duas actividades durante a directa. O Mário Valente conduziu o concurso de RockBand, que eu adoraria se conseguisse tocar música, mas que deu para me divertir um bocadinho a desafinar e a meter a tocar Tokio Hotel no PalcoPrincipal.

Gostaria de dar também os parabéns ao João Pedro do Sapo pelo Quiz. Não só pela parte técnica, que envolveu luzes, controlos do buzz e quase fritar o portátil, mas também pela imaginação nas perguntas que realmente proporcionou um momento bastante divertido.

Os outros projectos

Pessoalmente não concordei com a classificação final. Só para dar como exemplo, o primeiro vencedor de usar o OpenMoko como rato, já tinha sido feito com o Wiimote, e sinceramente não é muito dificil, visto que fiz uma coisa parecida em meia hora. Não é mau perder, até porque nem acreditava que nenhum dos nossos projectos ganhasse, tendo em conta outros que vi.

O meu top seria:

  1. Cena dos Recibos Verdes do Pedro Sousa
  2. Cena do last.fm -> músicas interessantes -> trackers “legais” -> RSS do Pedro Freitas
# JS de Elite (controlar o helicópetro por JS) do Cláudio Gamboa

Assim que os videos estiverem up, recomendo que vejam especialmente estas. Ficam também a sugestão para a organização de tentar criar algumas categorias. Eu percebo que não as tenham feito de propósito, para não impedir a criatividade, mas tendo em conta os tipos de projectos apresentados, poderiam fazer do género: Hardware, Jogos, Produtividade, Mashups, Multimédia, Libraries/Middleware, Categoria Especial 1, 2, 3 e 4. Assim haveria sempre uma folga para meter aqueles mesmo originais e bons, e também dar algum crédito a quem fizer coisas que não são produto final, mas possam facilitar o trabalho dos developers, ou à malta de design que não sabe programar.

Overview

O evento foi exceptional, parabéns ao Sapo, por fazer a malta corporate da PT confiar neles para lhes deixar investir tanto dinheiro na malta jovem e inovadora, com um óptimo formato.

Foi bom reencontrar a malta “Hoo-hoo”[4] e conhecer pessoas que já seguia como a Paula Valença ou o Jack Moffitt.

Em 2009 estou lá coladinho! E agora nos tempos mortos até aos próximos eventos, não vejo a malta do Porto organizar nada ;-)

1O DEI paga a viagem ao Codebits, o Sapo paga a entrada na Shift, a Microsoft leva-me ao Techdays e Teched. Como sou concorrido, começo a aceitar propostas para mais eventos :)

2E os quarentões não têm de aprender uma nova linguagem

3E depois vamos voltar a querer tudo no nosso equipamento e iremos estar sempre nesse ciclo, right?

4Expressão do Alex, se a transcrição estiver errada, avisa ;)